ComportamentoTecnologia

As Operadoras de TV a cabo ganham mais um inimigo

É isso mesmo que você leu. Os formatos atuais de TV e pacotes de Operadoras estão com os dias contados. O Google lançou o Youtube TV, seu serviço de TV por assinatura via streaming.

Ou seja: acabou decodificador, antena, e técnicos que prometem ir fazer manutenção e não aparecem. Durante a apresentação, a diretora executiva do YouTube, Susan Wojcicki, explicou que o serviço tem foco nos jovens, que vivem na internet e não assistem mais a TV. Aliás, eu me incluo nisso. As únicas coisas que eu assisto na TV são jornais ou esportes. Todo o resto do tempo a TV serve para eu assistir alguma coisa no Apple TV ou para jogar videogame. Ter horário para sentar e assistir determinado programa simplesmente NÃO FUNCIONA para mim e acredito que para a maior parte dos jovens hoje em dia.

E justamente esse gargalo de programação ao vivo fica descoberto nesse esquema de assistir a séries, filmes e conteúdo que não seja ao vivo. Claro que a gente consegue, sim, essas informações rapidamente via redes sociais, e convenhamos, assistir a qualquer evento, como um jogo de futebol, fica um milhão de vezes mais divertido quando o Twitter está ali, de segunda tela, por exemplo. Mas para o Google, agora é interessante lucrar tanto na segunda tela quanto na primeira.

O que as operadoras de TV por assinatura não se tocaram ainda é que o consumidor não quer deixar de ver TV. Ele só quer que seja de acordo com a sua vontade naquela hora. Ninguém quer ficar vítima de uma programação que parece mais punir as pessoas do que de fato, divertir. E vamos combinar que pelo menos no Brasil, os preços são abusivos, para se dizer o mínimo.

Pensando nesse gargalo, o Youtube TV vai fornecer a transmissão 100% via internet em qualquer dispositivo e gravar o que está passando caso você não possa assistir. Mesmo que em horários concorrentes, o programa vai estar lá depois, para você consumir na hora em que achar melhor. E já tem vários canais que estão garantidos por lá:

O YouTube TV estréia nos EUA em alguns meses e a mensalidade é um pouco salgada para os padrões norte-americanos: US$35, mas o valor dá direito a transmissão simultânea em até três dispositivos, com direito a seis usuários. Mas é uma forma completamente nova de se consumir TV aberta sem depender de dispositivos e/ou horários. Quanto mais o público aderir, mais canais vão se interessar em estar lá. Também existem planos para expandir para mais alguns países nos próximos anos.

E aí resta pra gente observar essa queda de braço. Ou as operadoras de TV se reinventam e oferecem planos e preços mais justos, ou como é praxe por aqui, vão choramingar para o governo criar toneladas de impostos e regulamentações que dificultem e/ou impeçam o serviço por aqui, como é o caso da limitação da banda dos usuários.

 

Fonte: YouTube Blog.

Previous post

Nova função do Instagram adiciona álbuns ao app

Next post

Polêmica do dia: YouTube está ocultando vídeos e canais LGBTQ+

Leonardo Ferreira

Leonardo Ferreira

Designer, nerd desde sempre, guitarrista frustrado e ficando cada dia mais careca. Fã de tecnologia, pizza, Rock e chegado em jogar videogame quando não tem nada melhor pra fazer. Alguns diriam que eu sou um hipster daqueles, mas não uso óculos ainda.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *