Outros

Polêmica do dia: YouTube está ocultando vídeos e canais LGBTQ+

Polêmica à vista. Produtores de conteúdo estão acusando o Youtube de ocultar vídeos e canais dedicados a conteúdo LGBTQ+, utilizando a ferramenta de Modo Restrito para filtrar “conteúdos inapropriados” que os usuários não queiram ver.

Essa ferramenta tem como objetivo ocultar vídeos e canais que tenham assuntos digamos, espinhosos, com material sensível como por exemplo sexo, violência, guerra, terrorismo e por aí vai. Se o recurso está ligado na sua conta do YouTube, nenhum desses e muitos outros assuntos sensíveis aparecem para você.

O problema é que aparentemente o algorítimo que faz a triagem, anda filtrando conteúdos que não são sensíveis. Diversos vídeos e canais com conteúdo voltado à comunidade LGBTQ+ não estão sendo listados na busca. Ainda existem usuários reclamando inclusive de que Gameplays também estão sofrendo, entre outros conteúdos.

Por exemplo, nessa imagem nós temos de um lado a busca sem Modo Restrito e a outra com a função habilitada. O Vídeo não tem nada demais, é só um casal fazendo seus votos matrimoniais:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parece mesmo que o algorítimo passou a classificar vídeos LGBTQ+ como impróprios. O maior problema é descobrir o que teria levado a isso. É um movimento que não faz nenhum sentido por parte do Google. Mas desde o atentado à boate em Orlando, o YouTube viu um grande aumento tanto no número de vídeos apoiando a causa LGBTQ+, quanto outros criticando e dando apoio ao terrorista, criticando e destilando preconceito. Foi logo depois que o Youtube resolveu tirar a monetização de assuntos considerados polêmicos e essa atitude acabou tirando a função de vários canais que não tinham nada a ver com a treta, mas que fazem parte da comunidade.

E aí entra a mudança no algorítimo. Ou seja, teoricamente canais com temática LGBTQ+ entraram em material sensível por ser considerado assunto problemático, prejudicando a todos, mesmo os que não usam o YouTube para destilar ódio e preconceito. Esses que usam o YouTube ou qualquer rede social para ofender, agredir e destilar ódio e preconceito, na minha opinião, nem deveriam ser material sensível. Deveriam ser material banido mesmo.

O Youtube soltou um comunicado oficial através da sua conta no Twitter, informando que O YouTube Creators apoia a comunidade LGBTQ+, mas que o Modo Restrito serve para filtrar conteúdo considerado “adulto”. Então qualquer discussão sobre sexualidade, mesmo que não seja explícita e que qualquer canal identificado como LGBTQ+ vai entrar no filtro. A opção é desligar o Modo Restrito.

Vamos aguardar, mas eu acho que essa história vai dar uma senhora confusão.

Fonte: The Next Web

 

Previous post

As Operadoras de TV a cabo ganham mais um inimigo

Next post

Publicidade não-publicitária? Google Home e A Bela e a Fera

Leonardo Ferreira

Leonardo Ferreira

Designer, nerd desde sempre, guitarrista frustrado e ficando cada dia mais careca. Fã de tecnologia, pizza, Rock e chegado em jogar videogame quando não tem nada melhor pra fazer. Alguns diriam que eu sou um hipster daqueles, mas não uso óculos ainda.

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *